sábado, 6 de junho de 2009

Aquecimento e desaquecimento vocal


VOZ


O APARELHO FONADOR


O aparelho fonador é um conjunto de órgãos utilizados na produção da voz, que “pega emprestado” estruturas pertencentes ao aparelho respiratório e digestório. Estas estruturas são: pulmões, laringe, faringe, boca e cavidade nasal. A voz se produz a partir de um som básico gerado na laringe. A laringe localiza-se no pescoço e e´um tubo composto de cartilagens. As pregas vocais (ou cordas vocais) localizam-se dentro da laringe, são apenas 2 (duas) e estão paralelas ao solo. Elas são duas dobras formadas por músculos e mucosa que afastam-se para que o ar entre nos pulmões e aproximam-se e vibram para que a fonação se produza. Quando respiramos silenciosamente, as pregas vocais ficam abertas permitindo a entrada e saída livres do ar.


PRODUÇÃO VOCAL


O ar que vem dos pulmões passa pelas pregas vocais (ou cordas vocais), fazendo com que elas vibrem. Este som aí produzido é chamado de “tom fundamental” da voz. Depois, ele será transformado e amplificado nas cavidades de ressonância que incluem a própria laringe, faringe, boca e nariz. Os lábios, a língua, dentes, palato, mandíbula e maxila servirão como articuladores para este som, dando origem a palavra falada.


A voz é o resultado do equilíbrio entre duas forças – a força do ar que sai dos pulmões e a força muscular das pregas vocais. Caso haja desequilíbrio neste jogo, poderá haver uma alteração vocal. Se o ar que passa pela laringe é excessivo, a voz vai ser soprosa, ouvindo-se ar na emissão. Ao contrário, se a força muscular for maior que a necessária, o som ficará comprimido e a voz sairá tensa e estrangulada.


Sons graves e agudos: Os sons graves são aqueles que possuem freqüência baixa, ou seja, o número de vibrações por segundo é baixo, quando comparado a um som mais agudo. As características das pregas vocais de cada indivíduo irão determinar se o “tom fundamental” da voz será grave ou agudo. Esta freqüência depende de vários fatores como o comprimento das pregas vocais(quanto maiores mais grave será a voz) e de sua espessura (quanto mais finas, mais aguda é a voz).


COMO CUIDAR DE SUA VOZ


A saúde vocal está intimamente relacionada à saúde mental, emocional e física do individuo.Alguns pontos devem ser considerados:


HIDRATAÇÃO: Beber bastante água é essencial para o bom funcionamento das pregas vocais, fazendo com que sua mucosa, de forma indireta, não fique ressecada e possa trabalhar de maneira melhor.


O ideal seria que bebêssemos 2 litros de água por dia. Esforço para falar, pigarro persistente, urina escura e saliva grossa podem ser sinais de hidratação insuficiente. Por isso, quem quer cantar deve beber muita água!!!


ALIMENTAÇÃO: Alimentos pesados dificultam a movimentação livre do diafragma. Além disso, o excesso de condimentos favorece o refluxo gastro-esofágico, onde as secreções ácidas do estômago podem banhar as pregas vocais, causando danos.


Alimentos como chocolate, leite e derivados aumentam a secreção do muco do trato vocal, prejudicando a ressonância e produzindo pigarro.


Balas, pastilhas e sprays locais podem atenuar sensações desagradáveis durante a emissão, porém acabam por mascarar a dor do esforço vocal.


Na limpeza do trato vocal são indicados maçã, que por sua propriedade adstringente auxilia na limpeza da boca e faringe, favorecendo uma voz com melhor ressonância .


Os sucos cítricos auxiliam a absorção do excesso de secreção.


Alimentos e bebidas muito gelados são nocivos, pois o choque térmico causa uma descarga imediata de muco e edema das pregas vocais.


FUMO: O cigarro é um dos maiores inimigos da voz, uma vez que a fumaça atinge diretamente as pregas vocais, podendo causar uma série de transtornos, como rouquidão, secreções indesejáveis, tosse, além de doenças mais graves.


ÁLCOOL: O álcool também se mostra extremamente nocivo, uma vez que provoca irritação do aparelho fonador. Além disto, ele promove uma sensação de anestesia , o que impede de o cantor perceber se está ou não forçando sua voz ao cantar. O álcool promove um relaxamento muscular e por isso, muitos cantores o usam para “aquecer a voz”.Na verdade, estão apenas se tornando menos tensos, mas agredindo seu aparelho vocal..


COMPETIÇAO VOCAL: Em bares, festas , boates ou ambientes muito ruidosos, tente não realizar o que chamamos de competição vocal. A pessoa vai falando cada vez mais alto, de forma a competir com o ambiente barulhento, e ao final da noite, encontra-se totalmente esgotada vocalmente.


DROGAS: O uso de drogas inalatórias ou injetáveis têm ação direta sobre a laringe e a voz. A maconha é extremamente lesiva não só pela fumaça, mas pelas toxinas liberadas pelo papel no qual a erva é enrolada.


A aspiração de cocaína pode levar a ulcerações na mucosa das pregas vocais e lesões perfuradas do septo nasal.


ALERGIAS: As alergias respiratórias influem na produção da voz ,uma vez que pode ocorrer edema das pregas vocais.


AR CONDICIONADO: O ar condicionado pode constituir uma agressão às pregas vocais, uma vez que reduz a umidade do ar e provoca conseqüente ressecamento do trato vocal, o que induz à produção de uma voz com esforço e tensão.


POSTURAS CORPORAIS INADEQUADAS: Os desvios da postura devem ser evitados para garantir a produção adequada da voz.


ALTERAÇÕES HORMONAIS: A influencia dos hormônios na voz é inegável. A voz da criança muda na adolescência, de modo mais acentuado nos meninos que nas meninas. Chamamos isto de muda vocal.


Algumas mulheres podem ter alterações vocais devido a flutuações hormonais ocorridas no seu ciclo menstrual.


AQUECIMENTO VOCAL: O aquecimento vocal é de grande importância antes de ensaios e apresentações e envolve exercícios para oferecer flexibilidade aos músculos responsáveis pela produção vocal.. O aquecimento prepara as pregas vocais para o uso intensivo da voz, favorecendo uma performance mais satisfatória. A voz aquecida é mais aguda e mais intensa.


HÁBITOS VOCAIS INADEQUADOS: Pigarrear e tossir freqüentemente podem facilitar o aparecimento de alterações nas pregas vocais, devido ao grande atrito causado na mucosa, com irritação e descamação do tecido. Portanto, tais hábitos devem ser evitados.


TÉCNICA VOCAL: Relaxamento, Alongamento e Aquecimento: para cantarmos bem, necessitamos estar com a musculatura do corpo, principalmente a região dos ombros, costas e pescoço, relaxada, alongada e com as pregas vocais devidamente aquecidas. Para esse fim, existem inúmeros exercícios; abaixo, alguns dos mais usados:


RELAXAMENTO


Do corpo: de pé, pernas afastadas dois palmos, braços ao longo do corpo; girar o tronco para esquerda e direita, lentamente, os braços acompanhando o movimento, a cabeça e o olhar também; o calcanhar direito levanta-se levemente e o joelho direito dobra um pouco quando o tronco gira para a esquerda, e vice-versa. Duração: dois minutos ou até sentir o corpo relaxado.


Ombros: de pé, pernas unidas, girar os ombros para trás algumas vezes e depois para a frente, com os braços pendentes e articulando bem, lentamente. Duração: dois minutos ou até relaxar.


Massagem: com as pontas dos dedos, massagear suavemente a região do pescoço, rosto e couro cabeludo.


ALONGAMENTO


Do corpo: de pé, pernas unidas, braços ao longo, iniciar uma inspiração pelo nariz, lentamente, ao mesmo tempo em que eleva os calcanhares e os braços ( lateralmente ) . Ao findar a inspiração, as mãos devem estar unidas e os braços esticados para cima, os calcanhares elevados ao máximo. Feito isto, prende-se a respiração por 3 segundos e solta-se o ar suavemente pela boca, em sopro, ao mesmo tempo em que descem os braços e calcanhares. 3 vezes seguidas.


Pescoço: de pé ou sentado, braços levantados lateralmente na altura dos ombros, e mãos no peito; iniciar uma inspiração pelo nariz lentamente, ao mesmo tempo em que estica-se o pescoço à frente, até encostar o queixo no peito; prender o ar 3 segundos e voltar à posição inicial, soltando o ar suavemente em sopro e esticando o pescoço. 3 vezes seguidas.


Giro da Cabeça: suavemente, girar a cabeça para direita e esquerda, depois tombando-a para ambos os lados, para frente e para trás, e produzir o giro completo, executando cada posição quatro ou cinco vezes, sentindo o alongamento da musculatura do pescoço.


Rosto: inspirar e, com a boca fechada, produzindo um som em "m", movimentar lenta e largamente os músculos da face, como se estivesse mastigando. 3 vezes até acabar, depois 3 vezes com a boca aberta.


AQUECIMENTO


- Inspirar e soltar o ar produzindo um som gutural, como um motor, retraindo o abdômen, abrindo bem a boca, até o ar acabar. 3 vezes.


- Inspirar e soltar o ar como uma baforada, lentamente, como um "A" sussurrado, até o ar acabar. Retrair o abdômen devagar e relaxar a garganta. 3 vezes.


- Língua: inspirar e produzir uma vibração com os lábios, em "Trrrrrrrrrrrrrrrr", soltando o ar e sentindo a vibração da língua no céu da boca, sempre retraindo o abdômen devagar, controlando o ar. 3 vezes.


- Lábios: inspirar e produzir uma vibração com os lábios, em "Brrrrrrrrrrrrrrrr", até o ar acabar, trabalhando abdômen. 3 vezes.


- Ressonância: inspirar e produzir som de "DZ", com a ponta da língua encostada nos dentes frontais da arcada superior, até o ar acabar, trabalhando o abdômen. 3 vezes.


- Glissando: inspirar e produzir som com "Trrrrrrrrrrrrrr" ou "Brrrrrrrrrrrrrrrr", começando do som mais grave e subindo gradativamente até o mais agudo da voz, voltando ao grave da mesma forma, como uma escala.3 vezes.


Obs.: Todos os exercícios devem ser executados com muita atenção à respiração e o uso do diafragma, controlando o ar expirado, sem forçar a garganta. Além desses exercícios, o aquecimento com vocalizes, trabalhando vogais e consoantes com boa articulação, em escalas, tríades ou tétrades, também devem ser feitos ao menos uma hora antes de cantar, por vinte minutos no mínimo.


DESAQUECIMENTO


Para o desaquecimento, é indicado:


- Vibração de lábio em duração, emitindo o som “Brrrrrrrrrrrrrrrrrr…”, pouco volume, pouca projeção e em uma afinação bem grave (som basal);


- Vibração de língua em duração, emitindo o som “Trrrrrrrrrrrrrrrrrr…”, também com pouco volume, pouca projeção e em som basal;


Obs.: não precisa exagerar na duração, não precisa chegar no limite do seu fôlego!!!!


- Bocejo e beba água em temperatura ambiente: o movimento da deglutição(engolir) e do bocejo, relaxam a musculatura da Laringe;


- Mantenha a voz em repouso por uns 20 minutos sem falar.


Pronto! A voz estará desaquecida!


IMPORTANTE!!!


Assim como nos exemplos acima, o som que você estiver produzindo para pré-aquecer e desaquecer, deverá estar no mesmo volume, intensidade e tom.


NÃO BRINQUE COM ESTE EXERCÍCIO FAZENDO SONS MUITO AGUDOS, MUITO GRAVES OU MISTURANDO OS DOIS TONS.


Repita os exercício SEMPRE no seu tom natural.


Se você não conseguiu fazer estes exercícios até acabar o ar armazenado (sem utilizar o ar de reserva, certo???), ou seja, você começou bem mas no meio do exercício o som falhou, PARE! Respire fundo por 3 vezes, relaxe um pouco e só então recomece.


É muito comum, no início, não conseguirmos emitir estes sons até o final, pois trata-se de sons que nós não estamos habituados a produzir, mas com o treino diário, fica cada vez mais fácil.